Textos e Artigos

Dicas da Neurociência que garantem melhor desempenho nos estudos e no trabalho

 

Entender como o cérebro funciona, as técnicas dos melhores alunos, ou mesmo dos campeões de memorização podem dar saltos enormes em nosso desempenho e nos deixar mais calmos e tranquilos para as atividades mais prazerosas da vida. Podemos fazer tarefas de maneira mais rápida e eficiente, registrar informação em um tempo mínimo, e preparar resumos que sempre estarão disponíveis para rápida recordação.

Estas técnicas podem são ensinadas em nosso curso FOCO, ATENÇÃO E ALTA PERFORMANCE (disponível para compra na loja do site)

Curso para Alta Peformance Pessoal

Curso para Alta Peformance Pessoal

Como uma degustação deste potencial disponível, apresentamos aqui algumas valiosíssimas informações com base em detalhado artigo de Melanie Pinola, do grupo Zapier.

Se você precisa estudar para um teste, quer aprender uma nova língua, ou tem a esperança de evitar lapsos de memória embaraçosos (como é o nome do cônjuge de seu gerente novamente?), ou simplesmente quer ficar mentalmente tranquilo, saiba que melhorar a sua memória é mais fácil do que parece . Basta experimentar novas técnicas de memorização ou fazer ajustes importantes no seu estilo de vida.

A Ciência da Memória

Primeiro, vamos falar sobre como a memória funciona, para que possamos entender a ciência por trás dessas técnicas de memorização.

Codificação

O primeiro passo para criar uma memória é chamado de codificação: É quando você percebe um evento ou se depara com um pedaço de informação e seu cérebro percebe conscientemente os sons, imagens, sentimento físico ou outros detalhes sensoriais envolvidos. Vamos tomar, por exemplo, a sua primeira viagem a Las Vegas. Sua memória desse evento é formada por seu sistema visual (notando edifícios extravagantemente projetados e paisagismo exuberante, por exemplo), o seu sistema auditivo (o toque das máquinas caça-níqueis), e talvez cheiro (os aromas distintivos bombeados em cada casino).

Se você atribuir significado ou conhecimento factual a qualquer uma dessas entradas sensoriais, isso é chamado de codificação semântica. Isso é bom saber porque a pesquisa sugere que lembremos melhor as coisas e as retivemos mais quando associamos significado a elas usando a codificação semântica.

Armazenamento

Todos esses pequenos pedaços de informação são armazenados em diferentes áreas do cérebro. Seus neurônios (as células nervosas em seu cérebro) passam sinais uns aos outros sobre o que você percebeu, efetivamente “conversando” uns com os outros e construindo conexões temporárias ou duradouras. É essa atividade neural e a força dessas conexões que fazem uma memória, acreditam os neurocientistas.

Neurônios cerebrais
A rede de neurônios em nosso cérebro é a chave para armazenar e recuperar memórias. Existem dois tipos de memória: a de curto e a de longo prazo. Memória de curto prazo ou de trabalho é como uma lousa de rascunho de seu cérebro. É quando o seu cérebro temporariamente armazena informações antes de descartá-las ou transferi-las para a memória de longo prazo – por exemplo, lembrando o que você deseja pedir para o almoço. Uma vez que seu alimento é entregue e comido, seu cérebro pode deixar de guardar essa informação. Memórias de longo prazo são aquelas lembranças que você segura por alguns dias ou muitos anos – coisas como como andar de bicicleta ou o primeiro jantar que você teve com a primeira pessoa que você se apaixonou.

Ambos os tipos de memórias podem enfraquecer com a idade, porque o cérebro perde células críticas das conexões entre os neurônios ao longo do tempo – mas isso não é inevitável. Como a força muscular, você pode exercitar seu cérebro.

brain-control

Lembre-se

Repetidamente lembrar informações ajuda a fortalecer essas conexões e suas memórias, razão pela qual técnicas como revisar suas notas ou usar cartões de anotação ajudam a reter informações.

No entanto, quando você se lembra de algo, não é uma reprodução exata da primeira vez que você experimentou um evento ou se deparou com um fato, porque sua própria consciência da situação atual se mistura com a memória.  É também por isso que as pessoas podem ter memórias falsas, ou suas memórias de eventos podem mudar ao longo do tempo.

Agora que sabemos como funciona a memória, podemos usar essa compreensão para melhorar nossa retenção e aprendizado de memória. Começaremos com as mudanças de estilo de vida que podemos fazer, pois elas podem melhorar mais do que apenas nossa memória e, em seguida, passar por técnicas de memorização específicas.
Mudanças de estilo de vida que podem melhorar sua memória

Em geral, aumentar a sua saúde com melhor sono, exercício regular e melhor nutrição irá melhorar a sua saúde do cérebro, incluindo a memória, bem como a sua saúde física.

Body Emotions

Dormir
Aqui está uma maneira fácil de aumentar a sua memória: Faça uma boa noite de sono ou tire uma soneca depois de aprender algo novo. Um estudo recente descobriu que as pessoas que dormiam por 8 horas depois de aprender novos rostos e nomes eram mais capazes de lembrá-los em comparação com aqueles que não tiveram a oportunidade de dormir. E em uma análise de dois conjuntos de dados de pesquisa, o psicólogo Nicolas Dumay determinou que não só o sono protege nossos cérebros de esquecer memórias, mas também nos ajuda a recuperar memórias melhor.

Por que é isso? Parece que o sono “restabelece” o nosso cérebro e é fundamental para a memória e aprendizagem. Se você está privado de sono, os neurônios do cérebro tornam-se sobrecarregados com tanta atividade elétrica que novas memórias não podem ser salvas.

Cochilos contam também! Os pesquisadores descobriram que dar uma dormidinha de cerca de 45-60 minutos imediatamente após aprender algo novo poderia aumentar a sua memória de 500%.

Exercício
Assim como o sono é importante tanto para a sua saúde física e mental, outro pilar da saúde é o exercício.

Nossos cérebros dependem do oxigênio para funcionar corretamente, e para obter esse oxigênio, precisamos de um fluxo saudável de sangue rico em oxigênio para nossos cérebros. Adivinha? O exercício melhora o fluxo sanguíneo para o cérebro. Pesquisadores do Instituto Nacional sobre o Envelhecimento descobriram que o exercício aeróbico, como correr, está relacionado com a melhora da memória. Exercício como este desencadeia altos níveis de uma proteína chamada catepsina B, que viaja para o cérebro para desencadear o crescimento do neurônio e novas conexões no hipocampo, uma área no cérebro que se acredita ser crítico para a memória. Os testes foram realizados em camundongos, macacos e 43 estudantes universitários sedentários que foram forçados a ficar aptos para o estudo. Aqueles sujeitos com as maiores melhorias na memória? Você adivinhou: aqueles com o maior aumento da catepsina B após a atividade física.

Exercitar cerca de 4 horas após a aprendizagem pode ser melhor para melhorar a memória do que exercitar imediatamente depois. Os cientistas ainda não sabem por que atrasar o exercício é mais eficaz do que trabalhar imediatamente, mas talvez nossos cérebros precisem de tempo para absorver novas informações antes do exercício para estimular o cérebro. Porém existem estudos que mostraram melhora significativa de notas para quem se exercitou antes das aulas, como comprovado no livro Spark.

Melhorar a sua dieta

frutas especiais

Alimentação Natural
Nós não pretendemos soar como sua mãe ou médico com todos esses conselhos, mas aqui está a última recomendação baseada no estilo de vida: Comer de forma saudável.

Você provavelmente adivinhou, mas gorduras saturadas e trans – o tipo que você tem na carne vermelha e manteiga – estão ligadas à memória mais pobre. Assim como o colesterol pode acumular-se nas artérias do seu coração, ele pode acumular em seu cérebro. Harvard Health explica: “O acúmulo de placas de colesterol nos vasos sangüíneos do cérebro pode danificar o tecido cerebral, seja através de pequenos bloqueios que causam acidentes vasculares cerebrais silenciosos ou um acidente vascular cerebral maior e mais catastrófico. Isto afeta também o funcionar normal, o que pode comprometer o pensamento e a memória”.

Dietas ricas em gorduras insaturadas saudáveis, por outro lado – que consiste principalmente de vegetais, frutas  e nozes – foram associadas em numerosos estudos com melhorias na memória e menores taxas de declínio da memória ao envelhecer.

Além de viver um estilo de vida saudável, técnicas específicas irão ajudá-lo a lembrar melhor os detalhes de qualquer coisa que você está aprendendo.

Criar um Palácio da Memória

“A técnica número dos atletas de memória, que ainda a usam, é e será sempre o palácio da memória. Se alguém devesse aprender alguma coisa, deveria ser isso. ”
– Nelson Dellis, quatro vezes Campeão da Memória dos EUA

O palácio da memória é um dispositivo mnemônico que é tão provado e verdadeiro quanto possível – e merece uma seção própria. Inventado por oradores nos tempos romanos e gregos antigos, a técnica do palácio da memória (ou palácio da mente) é eficaz e agradável de usar, quer esteja tentando um discurso , caso você esteja trabalhando, ou fazendo sua lista de compras. De fato, o quatro vezes Campeão da Memória dos EUA Nelson Dellis – que afirma ter uma memória média – diz que

Com a técnica do palácio da memória, você associa um local com o qual está familiarizado, como o seu apartamento, o quarteirão em que cresceu ou o caminho que você leva para trabalhar ou ir para a escola – com os itens que você está tentando lembrar.

Para usar a técnica de palácio de memória: Imagine-se de pé no seu palácio de memória. Sua casa é um bom exemplo para começar, mesmo que não seja um palácio. Passeie mentalmente através deste palácio notando características distintas que você pode usar para armazenar coisas que você quer lembrar. Cada parada nesse caminho é um “nicho” que você pode pegar a idéia ou objeto. Por exemplo, sua porta da frente pode ser um nicho, uma lâmpada em sua sala de estar outro.  Associe o que você precisa com os nichos em seu palácio. Se você tiver uma lista de supermercado, por exemplo, na porta da frente você poderia imaginar inundações de leite sobre a porta de dentro, como uma cachoeira de leite.  E em vez de uma lâmpada em sua lâmpada da sala de estar, você vê bananas amarelas fluorescentes. Parece bastante absurdo, o mais visual, animado e ultrajante  que você imaginar suas memórias, melhor.

Visualização é uma habilidade-chave quando se trata de memória. Nomes e números são difíceis de lembrar, porque eles são abstratos e nossos cérebros não podem facilmente trava-los. Mas nossos cérebros armazenam e recordam imagens muito mais facilmente. Aqui estão alguns truques visuais que funcionam bem: Transforme o som de nomes em imagens: Assim que um estranho diz: “Oi, eu sou Mike”, e você diz: “Oi Mike “-poof! Você esquece o nome desta pessoa, porque você realmente não associou essa palavra com nada sobre essa pessoa (talvez tenha sido armazenada em sua memória de curto prazo, mas provavelmente não). Com a técnica do palácio de memória e outras técnicas de memorização que lidam com símbolos (como letras e números), a melhor estratégia é transformar algo abstrato em uma representação sonora e visual. Use os sons da palavra para transformá-la em uma imagem. No caso de “Mike”, você pode pensar em uma foto do Mickey Mouse.

Quanto aos números, técnicas similares aplicam-se. Você pode associar números de 0 a 9 com imagens, o que o ajudará a lembrar melhor longas seqüências de números. 0, por exemplo, pode ser um donut; 1 poderia ser um mastro de bandeira; 2 poderia ser um cisne. Para lembrar o número 210, então, imagine um cisne nadando passado um mastro de bandeira para pegar um donut. (Os campeões da memória, como o Dellis, codificam números de dígitos duplos ou triplos com imagens para que eles memorizem centenas de dígitos em cinco minutos, por exemplo, 00 equivale a Ozzy Osbourne, 07 é James Bond.)

Quando você está escrevendo à mão, seu cérebro é mais ativo na formação de cada letra, em comparação com a digitação em um teclado onde cada letra é representada no teclado. A pesquisa mostrou que quando as pessoas tomam notas em seus laptops, eles tendem a transcrever palestras literalmente. Por outro lado, quando tomamos notas à mão, tendemos a reformular a informação em nossas próprias palavras – um tipo de aprendizagem mais ativo. Talvez melhor: crie mapas mentais para os tópicos que você está aprendendo. Ele combina o elemento visual – lembre-se, nosso cérebro trabalha em imagens – com palavras manuscritas.

A menos que trabalhemos ativamente para reter essa informação, as chances são grandes que vamos perdê-la – em questão de dias ou semanas. Essa é a natureza do esquecimento, como mostra a curva de esquecimento: Se você quiser se lembrar de algo a longo prazo, como o vocabulário de um país estrangeiro, ou fatos que você precise para sua profissão, a maneira mais eficiente de aprender é a repetição espaçada.

Vitor Caruso Junior

Sobre Vitor Caruso Junior

Biógrafo, aluno e amigo do precursor da Yogaterapia no Brasil e um dos maiores escritores do Yoga no mundo, o Professor Hermógenes. Professor certificado por Lino Miele, único aluno de Pattabhi Jois autorizado a escrever sobre o Ashtanga Yoga, cujo manual Vitor traduziu para o português. Ordenado na tradição Zen pelo Mestre Thich Nhat Hanh, indicado a Nobel da Paz por Luther King. Vitor curou-se de forma extraordinária de um câncer, e trocou a vida de executivo por ensinar as formas de transformação e cura que deram tanto resultado em sua vida. Além do livros citados acima, já escreveu em parceria com Monja Coen, Leonardo Boff e Dra. Zilda Arns, entre outros. Recebeu prefácio em um de seus livros da neta de Gandhi, Ela Gandhi, sobre seus escritos a respeito do Ahimsa - Não Violência. Vitor dá cor e sabor de forma especial à Excelência e Qualidade na vida, não só em atendimentos individuais, mas em palestras e consultorias por todo Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *